terça-feira, 19 de Novembro de 2013

Destinos Rivais: Humilau e um Alvoroço num Infantário!


Muito boa noite a todos!

No episódio de ontem, o Ash, a Iris e o Cilan acompanham o recém-chegado Cameron a Humilau, de modo a que este caricato treinador possa ganhar o seu oitavo crachá e, assim, entrar na Liga Unova.
E começam mal. O Ash e o Cameron perdem-se dos outros! E, quando tentam ver o mapa, este não passa de uma toalha de papel. Muito bem. E almoço? Também não há. Mas nisto pudemos ficar a saber que o objectivo do Cameron é ser Campeão, ao mesmo tempo que o Ash reforçava o seu desejo de ser Mestre Pokémon. Também ficamos a saber que há várias constelações no Mundo Pokémon em forma de Pokémon, e em Unova conseguimos assistir a uma cujo pontilhado desenha um Bouffalant e outra que desenha um Scolipede. São detalhes interessantes.
Mas, felizmente, os nossos heróis chegam a Humilau, e aí o Cameron combate o Marlon, o líder de ginásio, dobrado pelo Ivo Romeu Bastos! Mesmo esquecendo-se do seu Riolu, o Cameron consegue vencer, e descobrimos que ele parece ter uma pose e uma fala características: "Eureka!", enquanto ajeita a sua fita, aparecendo no ecrã uns símbolos que parecem indicar que houve alguma transmissão sináptica na cabeça do aspirante a Campeão.

No episódio de hoje, "Alvoroço no Infantário!", os nossos heróis (já sem o Cameron, que seguiu o seu caminho no episódio anterior) deparam-se com um infantário de Pokémon. Nele, a tratadora, a Leyla (Ângela Marques), parecia um bocado naba, apesar de dedicada, e dois Pokémon, um Rufflet e uma Vullaby, pareciam não se querer, de modo nenhum, dar bem. Felizmente, dadas as circunstâncias, mesmo com muitas quedas constantes da Leyla, eles lá acabam por se começar a dar. No episódio há uma cena em que o Cilan, a Leyla e os Pokémon têm de atravessar uma frágil ponte improvisada com um tronco de uma árvore e, claro, a meio começam a cair. Nesta cena, eu (e com certeza que não fui o único) só me questionava se a cena não seria bem diferente se o Bulbasaur do Ash estivesse presente, com o seu Chicote de Hera. E depois lembrei-me que o Ash tem uma Snivy, mas que mesmo assim nada fez para ajudar!
No fim, a Meloetta canta uma nova canção, e a Team Rocket continua à caça de dados. E afirmar que toda a recolha de dados de que precisam está completa, finalmente! E a operação vai ter início agora. Parece que eles vão despertar um poder qualquer! E esta não é uma operação banal, oh, não. O Giovanni, assim que puder, vai-se pôr a caminho de Unova (e com isto vemos o Giovanni, a sua secretária e o seu Persion em Kanto, em poses tenebrosas). Amanhã e quinta veremos qual o grande plano da maquiavélica Team Rocket!

Boa semana!

segunda-feira, 18 de Novembro de 2013

Destinos Rivais: A Taça Júnior, a Despedida da Dawn e o Olá ao Cameron!

Boa noite!

Na semana passada tivemos a Taça Júnior do Pokémon World Tournament, acompanhada pela ida da Dawn para Johto e pela introdução de um novo rival do Ash: o Cameron! Mas comecemos pela Taça Júnior em si.

No primeiro episódio da Taça revemos todos os rivais (menos a Bianca e o Esteves) e ainda reencontramos o Alder, que surge atrás de uma árvore a tentar engatar a Cynthia, convidando-a para "um cafézito". A Dawn tem oportunidade de conhecer o Trip, a Georgia, a Burgundy e o Alder e este último continua a chamar ao Trip "Tristão". Por falar em Trip, este está extremamente confiante, pois o prémio do vencedor é um combate contra o Alder, algo que o Trip há muito quer.
A Georgia e a Burgundy são o melhor de toda a Taça Júnior, pelo menos quanto ao humor (a nossa nova Team Rocket). A Georgia mete particularmente piada nos seus insultos todos, com termos inesperados e cruéis.
O torneio começa com um combate de exibição entre a Cynthia e a "beldade da rosa branca", a Caitlin dos Elite 4, dobrada pela Ângela Marques! Esta batalha parecia uma batalha de competição, e vimos que as duas já se conheciam, tendo sido muito interessante.
E de seguida começam os combates do torneio propriamente dito e temos toda a primeira ronda. A Burgundy foi rapidamente derrotada pelo Trip, com o seu Pokémon régio - o Serperior! E a Georgia também foi derrotada pelo Dragonite da Iris (não pela Iris), tendo aqui o Dragonite começado a desobeder à aspirante a Mestre Dragão. O resto dos heróis ganha aos seus adversários.

O episódio seguinte começa com um grande choque: a Iris vai combater contra a Dawn!
As interacções entre Georgia e a Burgundy (e com os outros) continuam a merecer destaque. E a Georgia até diz que o Cilan é mais eloquente que a Burgundy!
Quanto à Iris, ela tenta falar com o Dragonite, e depois também aparece a Cynthia, mas o Pokémon tem uma postura de rebelde e não dá sinais de querer começar a obedecer à treinadora.
E o Trip, esse, continua potente, e derrota o Trip! Será que vai ser ele a ganhar isto?
No combate entre a Iris e a Dawn, a Dawn permitiu-nos ver o Mamoswine em acção (e o Mamoswine permitiu-nos ver (ou rever?) o Pokédex da Georgia) e durante o combate o Dragonite mostrou-se também muito forte e um grande rufia (quanto às suas poses). No fim, a Dawn ganha.
Começa ainda neste episódio o combate entre o Ash e a Iris! Isto lembra os nossos heróis da final do primeiro torneio de Unova, e temos ainda direito a um flashback.

O terceiro episódio, o "As Três Estrelas do Torneio!", começa onde o último episódio acabou: no combate do Ash e do Krokorok contra a Iris e o Dragonite!
Novamente, há que pôr em evidência a Georgia e a Burgundy. Gostei particularmente de uma cena em que a Georgia, como o Dragonite começou por obedecer à Iris, se interrogou se seria este o verdadeiro poder de uma Mestre Dragão (mas claro que depois se viu que o Dragonite não estava nada a obedecer à Iris, apesar de parecer ao início que sim). O francês da Burgundy (que tem sido uma constante nos episódios da perita) também em agrada muito.
Quanto ao combate entre a Iris e o Ash, o Krokorok do Ash evoluiu para Krookodile! E foi interessante ver a animação da evolução devido aos óculos que, naturalmente, não fizeram parte da evolução. E, apesar de o Dragonite se mostrar feroz, o Ash consegue vencer! Mas é uma pena para a Iris, que entra quase em desespero para controlar o Pokémon. E, mais uma vez, o Ash vence graças a uma evolução a meio de uma batalha.
A final do torneio é entre o Ash e, claro, o Trip! Foi Pignite contra Serperior, mas o Trip consegue vencer o Ash. E assim é dada a oportunidade ao Trip de combater o "Sr. Alder".

No último episódio, "Adeus Taça Júnior, Olá Aventura!", o Trip combate o Alder! O treinador tem uma estratégia delineada para vencer o Campeão, mas este, com o seu "estilo destemido, agressivo e encorpado", rapidamente derrota o Trip. No entanto, após uma pequena conversa com o Alder, o Trip parece muito mais calmo e "feliz".
Com isto, cessa o torneio e os rivais despedem-se: e esta foi a última vez que vimos a Georgia e a Burgundy! Tenho muita pena, senti que tinham um grande potencial que, infelizmente, não foi aproveitado. Até era capaz de dizer que a Burgundy poderia aparecer agora em Kalos, dado ser uma região baseada na França, mas parece-se altamente improvável. Sem dúvida que a Georgia e a Burgundy foram das melhores coisas nos torneios todos.
Mas apareceu uma nova personagem. Quem? O Cameron! E com ele surge um novo dobrador na dobragem portuguesa do Pokémon: André Lourenço, que foi muito refrescante! Sinceramente, não conseguia prever quem iria dobrar o Cameron, por isso gostei mesmo muito de que fosse um dobrador novo, que, para já, fez um óptimo trabalho!
E o Cameron foi muito engraçado. Tentou usar um comando de televisão como Pokédex, queria participar (agora) na Taça Júnior e, mais tarde no episódio, queria ir para Johto para participar na Liga Unova e achava que apenas precisava de 7 crachás para entrar na Liga (sendo o último espaço para o crachá da liga...)!
Vimos, graças ao Cameron, que os prémios de participação na Taça Júnior são uns porta-chaves do Alder.
Mas a Georgia e a Burgundy não foram as únicas a ir embora. A Dawn também tem de ir para Johto, para participar na Taça Wallace (dando-nos direito a um flashback com o Wallace e o seu Milotic!). A Dawn falou depois, outra vez, nos Grandes Festivais, e houve um combate entre o Quilava e o Pikachu (e houve também música de Sinnoh!). O combate é interrompido pela Cynthia, e a Dawn vai apanhar um avião que vai para a Cidade do Espinho Negro em Johto. A Dawn promete que depois conta como correu a Taça Wallace (mas desta vez eu não caio nisto) e depois temos as despedidas. O Piplup e o Oshawott foram os mais tristes com as despedidas, e nada teve a ver com a Meloetta, mas sim um com o outro!
Mas não nos deixaram ficar tristes por muito tempo (o que acaba por ser muito complicado), porque reapareceu o Cameron, que se junta agora ao Ash e vão os quatro para Humilau, para o último combate de ginásio do distraído treinador.
Mas o episódio não foi só isto. A Team Rocket reaparece (com fatos de mergulho!) e descobrem a entrada do santuário que tanto procuraram. E o Dr. Zager continua atento à canção da Meloetta. Temo perante o que eles possam fazer! Aguardemos...

Boa semana! E esta será a última semana de episódios novos.

terça-feira, 12 de Novembro de 2013

Destinos Rivais: O Pleno Regresso de Pokémon Estrangeiros, a Chegada da Coordenadora e da Campeã, a Meloetta e um Dragonite (mais ou menos) Rufia!

Muito boa tarde a todos!

Lamento por não ter escrito nada no Domingo, como prometera, mas infelizmente não consegui gerir o meu tempo de forma a consegui-lo. De momento estamos no início da Taça Júnior do Pokémon World Tournament, no qual participam o Ash, a Iris, o Cilan, a Dawn, a Burgundy, a Georgia e o Trip! A Burgundy já foi eliminada hoje pelo Trip, que parece mais determinado do que nunca a ganhar, dado o prémio ser um combate com o Alder. E a Georgia também já perdeu. Mas falo da Taça Júnior noutra altura. Antes da Taça Júnior houve... A chegada a Unova Leste!

No episódio "Tudo Pelo Amor de Meloetta!", o Ash é informado de que faltam 3 meses para a Liga Unova começar, o que lhe dá para muitos episódios ainda antes da liga. Ainda na Cidade de Virbank, graças a uma sugestão do Cilan de irem comer um gelado de forma a reproduzir de uma forma mínima uma cena de um dos filmes que ele lá conhece (o que lhes foi impossibilitado), os nossos heróis encontram uma velha conhecida do Ash e do Pikachu - a Cynthia, a Campeã de Sinnoh! Felizmente (e expectavelmente) a dobradora portuguesa da Cynthia manteve-se: Alexandra Gabriel, que conseguiu também manter o registo e a "alma" da campeã iguais a 100% ao o que nós já estávamos habituados, o que é sempre digno de nota. E acrescente-se que a Cynthia está com uma roupa nova, mais "frescote".
A razão da presença da campeã em Unova é simples: por causa do Pokémon World Tournament! Ora muito bem, quanto ao facto de o nome ter sido mantido em inglês, inicialmente estranhei muito e perguntei-me qual seria a razão para tal, dado haver uma tradução muito fácil e dado ser algo sem precedentes. No entanto, imediamente a seguir, o Ash tenta repetir o nome do torneio e não consegue, exactamente por estar numa língua estrangeira. Ponto 1: só pela fala em que o Ash não consegue dizer o nome já valeu a pena, primeiro pela piada que teve (foi original), segundo porque mostra que a equipa de tradução está plenamente consciente que o nome é algo que o público normalmente estranhará. Ponto 2: acaba por fazer algum sentido, dado ser isso mesmo, um torneio mundial, logo será natural que, no universo do Pokémon, queiram dar um nome que seja reconhecido por todos, e sempre dá um ar mais internacional à coisa. Por isso aceito (e até gosto) do nome, apesar de ao início ter estranhado!
Entretanto aparece a Team Rocket, que anda à caça da Meloetta, já com os óculos que o Dr. Zager lhes prometeu antes. A Meloetta fica ferida e o Ash e os amigos ajudam-na. Aqui o Oshawott ganha uma paixote pelo Pokémon e ouvimos parte do canto da Meloetta! A Cynthia, que estava com eles, teve de sair a meio porque... se esqueceu do troco ao comprar o gelado.
Depois temos um combate entre a Iris e a Cynthia, e o Axew aprende o Mega Impacto!
Os nossos heróis vão agora com a Cynthia a Unova Leste, à Aldeia de Lacunosa, para participarem no torneio, e a Cynthia diz ao Ash que ele tem uma visita à espera dele na sua casa. Quem será? É a Dawn, que ainda vemos antes do episódio acabar, com o Piplup! Ouvimos um bocado das suas vozes e são, como todos estávamos à espera, as mesmas.

No episódio seguinte, o Ash chega a Unova Leste! Este episódio tem no título a expressão "um encontro de temporadas". Porquê? Porque a Dawn encontra-se com o Ash e com os seus actuais companheiros! Mas já lá vou.
Ao longo do episódio temos vários vislumbres de Pokémon de gerações antigas: Wailord, Wingull e até os super nostálgicos Rattata e Staryu! E aparece um Staryu ao lado de um Frillish fêmea, a evidenciar a convivência entre Pokémon de diferentes gerações. Muito bom e muito nostálgico.
Na limusina da Cynthia, a Meloetta, que tem perseguido o Ash, aparece, e os nossos heróis chegam à casa de férias da Campeã.
Aí, a Dawn aparece! Claro que o Ash não a foi abraçar cheio de saudades, apenas a cumprimentou distantemente. Dobrada pela Joana Carvalho (que, ao que me pareceu, teve ainda um pouco de dificuldades em voltar ao registo da Dawn, mas acabou por conseguir). Aí, ouvimos de novo falar de competições, e o Ash vê o Piplup no Pokédex. Falando em Pokédex, a Dawn tem um Pokédex de Unova, algo que desde que eu vi o episódio em japonês na sua estreia me tem incomodado um pouco, pois sinceramente acho que não faz muito sentido.
Ficamos a saber que a Dawn esteve antes em Nimbaça, onde assistiu a um Musical e a desfile de moda da Elesa, que aparece com uma indumentária algo provocante.
Existe depois um momento muito desejado no qual revemos os Pokémon da Dawn (e ficamos a saber que agora tem um Quilava, em vez do Cyndaquil!), e a Dawn conhece os Pokémon do Ash, da Iris e do Cilan. E os Pokémon da Dawn continuam com a mesma personalidade: a Buneary, por exemplo, primeiramente está nervosa, e depois aproxima-se do Pikachu, relembrando-nos da sua paixoneta por ele! E o Piplup, muito engraçado, tenta usar a concharra do Oshawott.
O Cilan combate entretanto a Dawn. O Jervis, o mordomo da Cynthia, arbitra "com grande humildade" o combate entre o Pansage e o Piplup. É um combate muito interessante, e nele realmente temos um "encontro de temporadas": ouvimos a Dawn com as suas catchphrases "Não há crise nenhuma!" e "Acompanha-me!" e o Cilan, a certa altura, começa com a sua Hora da Avaliação! A reacção da Dawn é impagável, e esta em si foi das melhores "horas de qualquer coisa" do Cilan, cheia de palavras requintadas.
A Dawn chega a usar um Contra-Escudo e o combate acaba devido à interrupção pela Meloetta, que fica fascinada com o combate, que lembra um combate de uma Competição Pokémon.
No fim, a Team Rocket ouve e grava a canção da Meloetta, e ficamos a saber que esta é a missão mais importante de sempre da Team Rocket! Quem é que não fica em pulgas?

No episódio "Expedição à Ilha dos Onix!", temos um dos melhores episódios da estadia da Dawn. Para além de revermos um Krabby, um Kingler e muitos Onix, também tivemos um vislumbre do Brock, lembrado pela Dawn! Numa ilha repleta de Onix, os nossos heróis divertem-se um pouco (e o Pikachu faz surf!) até que as coisas começam a correr mal, devido a todos os Onix que existem lá.
A Iris e a Dawn tornam-se muito amigas, mas chegam a discutir, isto tudo num só episódio! E num pequeno despique entre as duas temos uma das melhores falas do episódio. A Dawn usa o "Não há crise nenhuma!", mas escolhe o caminho errado, e a Iris diz, furiosa, "Afinal sempre há crise!". E a Dawn? Calmamente e de forma simpática, diz-lhe que a fala correcta é "Sempre há crise alguma!". Gostei muito!
A Dawn ainda chega a dizer "Onde está o Brock quando é preciso?", referindo o aspirante a Médico Pokémon pela segunda vez.
Entretanto podemos ouvir pela primeira vez a transformação da Meloetta (com a voz americana a cantar, não a japonesa, algo que me enoja, porque a versão japonesa da Meloetta é mesmo das vozes mais relaxantes que já ouvi, enquanto a inglesa é simplesmente banal), e depois parece que já ouvimos a canção na sua versão original (pela cantora japonesa), e no fim voltamos a ouvir a canção pela cantora americana. Uma balbúrdia. O segmento de transformação é muito a homenagear as transformações das séries japonesas de raparigas heroínas, tal as Navegantes da Lua.
O Oshawott aprende Bomba de Água e aparece um Onix "de cor diferente"!
Já a nossa Team Rocket, essa, está a trabalhar com sensores.

De seguida, temos o episódio "O Mistério do Cubchoo Desaparecido!". O episódio começa com uma pequena batalha entre o Ash e a Dawn, na qual podemos ver o Mamoswine em acção!
O episódio baseia-se no desaparecimento de um Cubchoo, o que é pretexto suficiente para aparecer o Perito Detective Cilan! Os delírios do Cilan levam a que a Dawn se lembre do Brock, e aí temos uma recordação do Brock apaixonado por quem quer que seja. Três referências ao Brock desde que a Dawn chegou! Assim, sim.
Os Cilan oferece milhares de possíveis explicações quanto ao desaparecimento do Pokémon, o que ao fim de algumas vezes se começa a tornar extremamente engraçado. Quando finalmente aparece o Cubchoo, temos uma cena hilariante na qual o Cilan EMPURRA agressivamente a Dawn!
O culpado foi um Larvitar, que só quer ser amigo do Cubchoo. E vemos uma cena em que os dois lutam e estão os dois extremamente adoráveis.
Quanto aos nossos foguetões preferidos, estes começam por encontrar uma pista e, no fim, encontram aquilo que procuravam! Seja lá o que isso for.

Por fim, venho falar-vos do episódio "A Iris e o Dragonite Rufia!".
O episódio começa logo "muito Sinnoh": a Dawn está a pentear-se ao som de banda sonora ouvida em Sinnoh! Gosto muito de ouvir estes temas "antigos".
No episódio, a Iris aproxima-se de um Dragonite que está a ser acusado de causar sarilhos, e a Iris apercebe-se de que ele está a ser injustiçado, mas uma Agente Jenny persistente não acredita nisso e acha que o Pokémon Dragão deve ser punido. Chama os treinadores mais fortes da aldeia (entre os quais um tem um Magmortar), mas isso não chega, e no fim conseguem convencê-la de que o Dragonite está inocente.
Após ter-se começado a dar bem com a Iris, no fim, o Dragonite reflecte acerca de querer ou não ficar com a aspirante a Mestre Dragão (o que teve a sua graça), e decide que sim! E assim uma personagem principal da série animada captura um Dragonite!
Muito engraçado também foi a Dawn a berrar após a captura do Dragonite, e porque é que ela fez isso? Porque é isso os Mestres Dragão fazem! E a Dawn aprende com todos.
E a Team Rocket? Esses encontram o santuário lendário, e elogiam a competência científica da sua organização maléfica.

E hoje fico por aqui! Como será a Taça Júnior? Como será o resto da estadia da coordenadora Dawn por Unova? E qual será realmente o plano maquiavélico da Team Rocket, que já sabemos que envolve a Meloetta, um santuário lendário e o seu canto? Aguardemos pelos próximos episódios, que só aí estão as respostas!
Bom resto de semana!

domingo, 10 de Novembro de 2013

Destinos Rivais: O Oitavo Crachá do Ash

Boa noite!
Espero que esteja tudo bem com vocês. Estamos agora a menos de duas semanas do fim da primeira exibição da 15ª temporada da série Pokémon e acabámos de entrar numa segunda etapa de Unova: o Ash já ganhou o seu oitavo crachá e os Pokémon antigos começam a aparecer! Mas cada coisa ao seu tempo. Primeiro convém abordar a vitória do Ash sobre a Roxie, a líder de gínasio de Virbank, que permitiu ao nosso treinador da Aldeia Paleta ter a sua entrada na Liga Unova garantida.

Durante dois episódios, o Ash combateu a Roxie, dobrada pela Isabel Nunes (que fez um bom trabalho, apesar de ter usado um registo já muito ouvido nas suas personagens). São dois episódios mesmo muito bons, é um grande combate de ginásio, com muitas singularidades.
O próprio ginásio em si é todo ele muito interessante, quer quanto ao facto de ser local de uma banda, quer pelo design, quer pela música toda que se associou ao ginásio. O facto de os espectadores terem também apoiado o Ash, juntamente com todas as atitudes da Roxie perante o Ash, tornaram um ginásio que à primeira vista pareceu muito intimidante num ginásio bastante acolhedor. Talvez dos ginásios mais acolhedores que já vimos na série. Mesmo a nível do combate em si, a Roxie ordenou ao Ash que usasse os seus 6 Pokémon enquanto ela apenas usa 3 e ainda se deu ao trabalho de dar uma Baga de Pecha ao Pignite do Ash quando ele estava envenenado.
Terei de destacar o primeiro Pokémon da Roxie: um Koffing, apanhado pela líder num concerto em Kanto! Este é o primeiro Pokémon "real" que nós vemos em Unova que é de uma região anterior a Unova (para além do Pikachu e do Meowth), e não podíamos começar com um Pokémon mais interessante do que o Koffing, e é sempre interessante ver a animação dos dias de hoje aplicada a um Pokémon que nós já não víamos há muitos anos. E é um Pokémon Team Rocket, apesar de já lá ir muito tempo (e é nestes momentos que tenho pena da nova atitude do James: tendo nós o James antigo, não tenho qualquer dúvida de ele faria uma referência ao seu antigo Koffing/Weezing).
A animação esteve muito fluída nos dois episódios e vimos pela primeira vez técnicas muito interessantes quanto à animação, tal como o Disparo de Muco.
Quanto às "claques", a Roxie tinha os seus interessantes colegas de banda: a Billy Jo (Joana Carvalho) e o Nicky (Pedro Mendonça). E o Ash? Inicialmente parecia que tinha uma claque pouco potente, mas a Iris decidiu tomar a iniciativa e começou a dar num tambor! Toda pintada, ainda convenceu o Cilan a fazer o mesmo, e o apoio deles foi decisivo para a vitória do nosso jovem de 10 anos.
E assim o Ash consegue o seu oitavo crachá de ginásio em Unova, conseguindo assim arrecadar todos os necessários para participar na Liga Unova!
Mas não foi só isto que aconteceu. Paralelamente ao combate, a Team Rocket estava atenta. Atenta à Meloetta, que estava a assistir ao combate. Em conversa com o Dr. Zager, o alemão prometeu-lhes uns óculos especiais para poderem acompanhar melhor os movimentos daquele misterioso Pokémon... Qual será o plano deles?

Por hoje é só, tentarei amanhã escrever acerca dos episódios seguintes (que ainda têm muito pano para mangas), por isso até amanhã!

sexta-feira, 8 de Novembro de 2013

Destinos Rivais: Georgia e Luke (George Lucas?)!

Boa noite a todos!

Estou novamente atrasado em relação aos episódios, por isso começo por pedir desculpa a todos os que me acompanham. Tentarei, assim que conseguir, recuperar.

Antes de falar dos episódios que me faltam, tenho de fazer referência ao que está a acontecer agora na série: estamos agora com a Dawn! Sim, a Dawn e o Piplup (e os outros) vieram a Unova para participar no Pokémon World Tournament e desse modo encontraram-se com o Ash, a Iris e o Cilan, que agora a acompanham, juntamente com a Meloetta. Desenvolverei mais este assunto nos seus respectivos episódios (não hoje), mas deixo já a nota de que, como era de esperar, Joana Carvalho manteve-se como dobradora da Dawn, o que é sempre um deleite. Infelizmente, perdi um episódio (aquele em que eles se encontram), e não sei quando o conseguirei ver. Tanto pode ser amanhã, como daqui a três semanas.
Mas o episódio de hoje foi muito engraçado e as interacções entre a Dawn e o grupo têm sido bastante interessantes.
Ah, a Cynthia também reapareceu e a dobradora, Alexandra Gabriel, manteve-se!


Hoje vou comentar apenas dois episódios. O primeiro é o episódio em que a Iris se vê obrigada a juntar forças com um Vanilluxe que depois se vem a descobrir que pertence à Georgia!
O título é "Crise no Centro de Pesquisa Ferroseed!", MAS... No título houve um "do" a mais, entre "Crise" e "Centro"... Estes erros são principalmente aborrecidos, porque seriam facilmente evitáveis.
O episódio em si não é nada de transcendente, mas tem alguns aspectos que eu achei interessantes. Gosto sempre de ouvir referências a palavras como oxigénio e fotossíntese, e tivemos ainda referências a várias localizações de Unova pelas quais já passámos.
O Vanilluxe foi muito castiço, como por exemplo na cena em que pisca o olho ao Axew. O Oshawott, como é habitual, também teve momentos muito engraçados, mas o maior destaque no episódio foi sem dúvida a Georgia, que teve algum destaque e alguns momentos de liderança. Quanto à dobragem, penso que esteve tudo bem.

O episódio seguinte foi o regresso do Luke!
Novamente tivemos um episódio muito interessante, cheio de referências a filmes da "vida real"! Tais como "E Tudo o Pokémon Levou" ("E Tudo o Vento Levou"), "Dirty Herdier" (referência à série de filmes protagonizada pelo Clint Eastwood "Dirty Harry") e ainda "Saga das Guerras do Pokémon" ("Star Wars", "Guerra das Estrelas" na nossa língua), entre outros que provavelmente não apanhei.
Soubemos que o filme do Luke filmado no seu primeiro episódio teve uma menção honrosa, o que significa que todos os envolvidos também a tiveram: parabéns ao Ash, à Iris, ao Cilan, à Jessie, ao James e ao Meowth!
O Cilan esteve o episódio todo super entusiasmado, e pudemos vê-lo na gravação de um novo filme do Luke (pleno de referências ao Godzilla) com um nosso velho conhecido: um Tyranitar! E - boom! - começam as referências a Pokémon de gerações anteriores a Unova! E começamos em grande.
Nas gravações do filme revimos o Cilan vilão, o que nunca é aborrecido, e ainda tivemos um momento hilariante em que a Iris, para tentar chorar, imagina que tem de abandonar o Axew e... chora mesmo. No filme mesmo, as lágrimas da Iris são capazes de dar vida, o que me lembrou o primeiro filme do Pokémon, no qual as lágrimas dos vários Pokémon ressuscitaram o Ash.
Tivemos ainda vários termos técnicos, como "storyboard" e "retake", o que é sempre de nota.
A animação esteve muito interessante, com muito detalhes nos filmes, tais como a cabeça do Tyranitar robô a cair no filme do rival do Luke. Gostei imenso da referência ao logo da MGM com a Zorua dele (que voltou às suas tramas no episódio. )
Por fim, apareceu a Meloetta, e a Team Rocket voltou aos seus sobretudos! O que pretenderão eles com esse Pokémon?

Por hoje é só. Tentarei abordar mais episódios em breve. Bom fim-de-semana!

quarta-feira, 30 de Outubro de 2013

Destinos Rivais: Os Ladrões de Folhas, a Investida Arcaica da Team Rocket, a Maldição dos Tipos-Fogo, o Gélido Brycen e - ufa! - um Choque de Peritagem!

Boa noite a todos!

Venho fazer os meus habituais artigos acerca dos episódios de Destinos Rivais que têm estreado, mas hoje, já que estou um pouco mais liberto a nível de tempo, vou tentar falar-vos dos SETE episódios que já tenho "em atraso". Ainda são muitos episódios (e houve bastante conteúdo), mas vou fazer um esforço para não tornar o artigo muito pesado.

Começo pelo episódio "Enfrentando os Ladrões de Folhas!", que se passa à volta de um bando de Durant que estão a recolher folhas e, acidentalmente, raptam o Axew da Iris. O foco do episódio teve de ser a evolução do Swadloon para Leavanny, seguida de uma boa banda sonora. Os momentos mais engraçados foram sem dúvida aqueles relacionados com os fatos de folhas que a Leavanny fez a praticamente todos, não só por causa do fato em si (tendo especial destaque o do Axew, "à super-herói"), mas também por causa das reacções dos outros Pokémon aos fatos dos outros. Tivemos um flashback do Burgh, o que é sempre uma mais-valia, e quando os nossos heróis foram em busca do Axew a Leavanny, de modo a que depois pudessem encontrar a saída de volta da caverna onde se estavam a meter, usou a estratégia usada por Teseu quando foi ao encontro do Minotauro. No combate contra os Durant (que foi bastante interessante, note-se), é de louvar o pormenor de, perante um "Atracção", só alguns dos Durant presentes terem ficado afectado, evidenciando a esperada existência de Durant de ambos os sexos.

Depois de enfrentarem uns banais ladrões de folhas, os nossos heróis tiveram de enfrentar um grupo de malfeitores bem mais ameaçador e aterrador... A malévola Team Rocket! Nestes dois episódios, a Team Rocket tenta recrutar um exército de Pokémon extintos para dominarem Unova! Será que conseguiram? Bem... Desta vez não foi possível, mas tenho fé que um dia consigam ter êxito...

Os dois episódios em si estão bons. Naturalmente que podem ser criticáveis pelo facto de não haver qualquer avanço significativo no enredo global da série (penso que o mais relevante seja apenas que este foi o primeiro encontro cara-a-cara entre o Ash e o Dr. Zager e que o Yamask do James começou a usar a técnica Fogo Fátuo) e, como sempre, pela forma como acabam. Tanto este especial como os outros que já tivemos com a Team Rocket acaba com uma simples retirada deles sem qualquer género de vitória. Compreendo, é certo, porque é que os escritores o fazem - não vão simplesmente pôr um exército de Carracosta a dominarem Unova -, mas sempre podiam dar uma conclusão mais interessante aos episódios.

Gostei muito do início do primeiro episódio, com a Jessie, o James e o Meowth nos esgotos a discutirem com o Dr. Zager os planos e, embora esta não seja a primeira vez que os vemos nos esgotos, desta vez lembrei-me das Novas Tartarugas Ninja, principalmente por termos na Team Rocket um antigo membro das tartarugas: Pedro Mendonça, que fazia de Michelangelo.

A nível de dobragem, estes dois episódios foram muito bons. Para começar temos uma voz muito nostálgica de Ângela Marques enquanto Tierra, não só enquanto adulta como enquanto criança. Edgard Fernandes também esteve muito bem enquanto Ferris, mas o destaque vai para um membro da Team Rocket: Ao longo do especial fomos tendo vários momentos com o brilhante Dr. Zager, que, através dos seus vários solilóquios e explicações, pôde destacar-se dos outros. Nestes episódios ele teve risos maléficos, enraiveceu-se, cometeu o terrível erro de explicar o plano ao protagonista... E isto tudo com o seu arrepiante sotaque alemão e a sua implacabilidade característica. Muitas palmas para Ivo Romeu Bastos. E a interpretação brilhante foi uma constante ao longo dos dois episódios.
Tivemos também o último lema de Unova da Team Rocket. Não foi particularmente empolgante, mas não foi mau. Tenho pena de que já tenham acabado todos os lemas de Unova e que não tenha havido nenhum que me tenha feito dizer "Este sim! Este está muito bom, tal como eu espero deles!".

Houve um erro grave. Um dos mineiros diz "não hajam dúvidas que isto é um fóssil" em vez de "haja", o que me surpreendeu, pois não me recordo de até hoje ter reparado nalgum erro de português deste nível.

O resto do especial passou-se entre a Montanha Retorcida, o espaço envolvente e o passado. Os combates contra a Team Rocket foram muito interessantes, e tivemos até, vinda do Meowth, a fala "Preparar para azar!", o que nunca foi razão de queixa para mim - muitíssimo pelo contrário! Os "adereços" que a Team Rocket usou ao longo do episódio (a mochila-de-voo e o "scouter" no olho) são sem dúvida algo de que eu nunca me esquecerei e todas as falas engraçadas ficarão na minha memória, tal como o "Poder Antigo da amizade" para acabar com os antagonistas.

De seguida, o Ash conheceu o primeiro treinador do Tepig, um rapaz que sofre de insónias chamado Shamus e que foi dobrado pelo Mário Santos.
Foi um episódio um pouco triste, mas que nos fez a todos ganhar mais admiração pela Snivy, que se mostrou valente contra os "guerreiros do fogo" Emboar e a Heatmor. No fim o Tepig evolui para Pignite, aprende o Penhor de Fogo e escolhe o Ash sobre o Shamus, que o convida para voltar à sua equipa.
Na minha opinião, até hoje nunca houve treinador tão odiável como este Shamus, a fazer com o Tepig chorasse, chorasse e chorasse à sua frente. E não esquecemos o que ele fez ao Tepig para ele o deixar e o que supomos que fez a muitos outros Pokémon. Desprezível.
O momento do Cilan foi uma "hora do julgamento!", na qual o Shamus era o arguido, o Ash o procurador, o Tepig uma testemunha, a Iris um membro enfurecido do público e o Cilan o juiz. Muito boa, esta cena.

No episódio seguinte, a caminho da Cidade de Icirrus, os nossos heróis encontram-se com o Brycen, dobrado pelo Luís Araújo.
O Brycen é uma estrela de cinema (e mais tarde conta que também é o líder de ginásio de Icirrus) que já protagonizou vários filmes lapidares na indústria cinematográfica do Pokémon. Filmes como "O Voo do Beartic" e "A Fúria do Gelo" (referências a "O Voo do Dragão" ("The Way of the Dragon") e a "A Fúria do Dragão" ("Fist of Fury"), tudo com o Bruce Lee) fizeram muito sucesso, mas foi o filme "Operação Beartic" (que é referência a "Enter the Dragon", também com o Bruce Lee) que levou o Cilan 25 vezes às salas de cinema. O entusiasmo do Cilan foi notável ("Mas éééééés!!!").
O Ash treina o seu Krokorok a par do Brycen, e tivemos muitos momento peculiares, tal como o Ash já nos habituou nos seus treinos. Apareceu também um Volcarona, e tivemos uma exibição dos dois sexos dos Jellicent por parte de um caçador. Felizmente, o Brycen não permitiu que este caçador profanasse a montanha e tudo acabou bem... E qual o seguimento deste episódio? O combate de ginásio!

O combate de ginásio contra o Brycen teve a particularidade de ser o primeiro do Scraggy do Ash. Face aos últimos dois combates de ginásio que tivemos, achei este combate um pouco inferior, mas nem por isso chegou ao nível do combate contra a Elesa.
A Iris continuou coerente ao nível do seu medo do gelo, mostrando-se agasalhada enquanto assistia ao combate.
O combate, esse, teve um Vanillish versátil, um ofensivo Cryogonal e o já conhecido Beartic. O Krokorok do Ash teve o azar de ter várias partes do seu corpo congeladas no decorrer do combate, mas isso não impediu o Ash de conquistar o seu sétimo ginásio de Unova, estando um passo mais perto da Poké-Liga.

No fim do último episódio, o Ash começou a ir a caminho de Opelucid para o seu último crachá, mas no episódio seguinte temos uma desilusão... O ginásio está fechado! Então aconselham o Ash a ir para a Cidade de Virbank, que lá há um ginásio. Mas pronto.
Neste episódio o Cilan (com os amigos atrás) é recrutado por um cavalheiro para ajudar a sua filha Marigold (dobrada pela Marta Mota e com um design refrescante). Mas não vai ser o único Perito em cena. Ricard Nouveau, um outro perito de Classe A, dobrado pelo Edgard Fernandes, também se julga competente para avaliar e escolher um Pokémon indicado para a jovem rapariga. Até aqui tudo bem. E correria tudo na perfeição se as opiniões dos dois não entrassem em confronto directo. E não só. A Burgundy também está por perto, e julga-se mais competente que os dois.
A Hora da Avaliação do Ricard Nouveau foi muito singular, assim como todos os "tiques" e "maneirismos" desta personagem. A Burgundy também decide mascarar-se de Fauxgundy, mas não pega, e, mesmo depois de ficar num arbusto a assistir a tudo, acaba por descolar involuntariamente. Um grande aplauso para a fala do Ash "podia jurar que já ouvi aquilo..." perante o som da Burgundy a descolar como a Team Rocket já não descola há muito.

A forma que o cavalheiro arranjou para os dois peritos chegarem a um acordo foi pô-los a combater, e iria aceitar a sugestão de quem ganhasse. No fim ganha o Cilan e o Pokémon escolhido é um adorável Foongus, com o qual a Marigold já tinha convivido! E a escolha foi toda feita à base dos aromas inconfundíveis que o Cilan tentou descortinar a todo o custo. Grande perito! Refira-se também que o Ricard Nouveau tinha um Purrloin, tendo o Cilan reforçado o seu temor pela espécie.

Bom, por hoje chega desta maratona de críticas, amanhã temos mais um episódio e agora até perto dos 20s de Novembro devemos ter episódios novos. Aproveitem! Bom resto de semana.

quinta-feira, 24 de Outubro de 2013

Destinos Rivais: O Clubestrondo!

Olá! Espero que a semana esteja a correr bem a todos.

Na semana passada tivemos o segundo grande torneio de Unova: O Clubestrondo, organizado pelo Don George!
E, tal como no último torneio, todos os rivais dos nossos heróis apareceram! Para além do Esteves, que se juntou a nós no último episódio, pudemos rever a eléctrica Bianca, a "Imperatriz do Mundo da Avaliação" Burgundy, a carrasca de dragões Georgia e, pois claro, o treinador que devia treinar mais e falar menos, o Trip.

As interacções entre os diferentes rivais e o Ash, a Iris e o Cilan são sem dúvida uma grande mais valia para os quatro episódios do torneio. Tivemos momentos interessantíssimos, e nenhuma personagem ficou de fora (vá, talvez só o Trip). Tanto com a Burgundy, como com a Bianca, com o Esteves, etc, pudemos ver novos situações e é sempre ver as personalidades vincadas destas personagens à flor da pele.

E apareceu um novo rival, que chegou até ao fim do torneio para perder para o Serafim (nome este que foi usado para o Esteves), dobrado pelo Pedro Mendonça, que se esmerou para deixar a personalidade desta personagem bem evidente: ouvimos o Pedro Mendonça enquanto um gabarola rico, plenamente confiante de que é o melhor, com uma calma e serenidade exageradas face aos resultados dos seus combates. Sempre disse que a nível de estrato social, o James nunca esteve mal, e agora que ele teve uma personagem em que basicamente só interessa a classe social ele pôde brilhar. Muito bem.

As vozes dos outros adversários também estavam muito boas, realço a voz de Edgard Fernandes enquanto Edmund, o gajo deprimido e que faz chover.

No último torneio, a Bianca andava doida pela Zorua do Luke. E neste? Qual terá sido a obsessão da Bianca? Os músculos dos Pokémon, com ênfase no Sawk do Esteves! E esta obsessão quase perversa pelo Pokémon do Serafim gerou momentos e falas hilariantes ("Até os teus músculos têm músculos!", algo que tanto tem de incorrecto a nível anatomo-fisiológico como tem de engraçado).

Importante será também referir que o Scraggy do Ash, o "sultão renovação", aprendeu a técnica Carga Focada, apesar de ainda não a conseguir controlar bem!

De resto, haveria muito mais a dizer. Quem sabe eu não decida fazer uma análise extensa dos quatro episódios do torneio - material para isso teria, com certeza! As vozes estiveram todas muito boas, a banda sonora também (principalmente no último episódio) e, a nível de enredo, apesar de haver algumas partes que nos façam torcer o nariz (o Trip, por exemplo), é certo que em momento nenhum ninguém perdeu o interesse pelo torneio. Bem conseguido, então.

Muito boa noite a todos e até amanhã!

quarta-feira, 23 de Outubro de 2013

Destinos Rivais: O Festival do Sino dos Desejos!

Muito boa noite!

Vou tentar "recuperar" do meu atraso o quanto antes. Isto não tem estado fácil quanto a temp disponível, mas vou tentar ainda esta semana arranjar um buraco que me permita ficar a par dos episódios; e já vou um bom bocado atrasado. Nestes últimos dias tivemos o Festival do Sino dos Desejos, o Clubestrondo, uma evolução seguida de um grupo de Pokémon larápios e, hoje, o início da mais recente operação da Team Rocket. Amanhã temos o desfecho da operação, e aí veremos se a Team Rocket (com o Dr. Zager!) será bem sucedida. Para mim seria um deleite se eles conseguissem levar a deles avante, mas só amanhã veremos.

Como disse, vou tentar avançar o quanto antes, não me quero atrasar muito, porque depois posso começar a esquecer-me dos episódios. Eu vou tomando as minhas notas, quando vejo, mas é possível que me esqueça. Veremos.

No episódio "A Escalada da Torre do Sino!", os nossos heróis encontraram o Stephan e decidem participar num festival local! O Festival do Sino de Desejos, que culmina na subida à Torre de Mistralton, nossa conhecida dos jogos (e muito mais sinistra lá, refira-se).

Neste episódio revimos o avô da Skyla, o Miles, que é o anfitrião do concurso presente no festival.
Houve vários desafios pelos quais o Ash, a Iris, o Cilan e o Esteves tiveram de passar, e o sumo deste episódio é um grande "relembrar" do passado, o que torna o episódio bastante interessante para um típico "episódio de festival" (um enredo recorrente).

Para começar tivemos um outro participante bastante peculiar: o Ricky, dobrado pelo Edgard Fernandes, que teve momentos bastante engraçados, tal como quando usa os seus poderes de vidente para adivinhar que o Ash, quanto treinador Pokémon participante no Festival, é "um... Treinador Pokémon!".

De resto, recordámos o Burgh, assim como a Elesa, o Alder e a Professora Juniper. Também revimos a Pedra Trovão, algo também algo inesperado, e o gelado de Castelia, numa cena com o Cilan muito "rosa".

No concurso de imitação, na gama de fatos a que os participantes podiam ter acesso, reparem nos vários objectos a fazer referência a outras personagens: não só tivemos a roupa da Jessie e do James, como tivemos o primeiro colete do Brock e o gorro da Dawn (com um pouco de cabelo!).

No concurso de imitação, foi impagável ver e ouvir o Ash a fazer de Alder, a Iris a fazer de Juniper, o Cilan a fazer de Elesa e, claro, o Esteves a fazer de Enfermeira Joy (o que também acabou por ser muito "perturbador"). O mais engraçado acabou por ser o Cilan, dado ter tido mais tempo de antena, mas as imitações das vozes de cada um foram um destaque no episódio.

No fim, é o Esteves que ganha a competição e tem a honra de tocar o Sino dos Desejos, e pede que consiga ganhar o Clubestrondo e, claro, que as pessoas comecem a dizer o seu nome adequadamente.
Conseguirá ele ganhar o Clubestrondo? Terá sido um erro falar do torneio ao Ash e aos amigos, dado agora ter mais competição? E conseguirão as pessoas deixar de lhe chamar Biff - Perdão! - Esteves em breve? A resposta está nos episódios seguintes!
Tentarei fazer um só artigo para o Clubestrondo todo.

Até breve! Boa semana!

quarta-feira, 16 de Outubro de 2013

Destinos Rivais: Mistralton!

Bom dia! Vou escrever um artigo acerca dos dois episódios do Ginásio de Mistralton primeiro. O artigo (ou os artigos, depende de como eu me gerir a nível de tempo) do Clubestrondo e do Festival do Sino dos Desejos virá depois.

Os nossos heróis chegam à Cidade de Mistralton para que o Ash possa ganhar mais um crachá, desta vez da líder de ginásio Skyla, a Miúda Altos-Voos. No entanto, assim que chegam, dão de caras com um método de combate dela muito duvidoso... Os combates de ar!

Estes combates consistem em duas fases: primeiro os treinadores mostram os seus três Pokémon; de seguida, a Skyla imagina o desfecho e age de acordo com o que imaginou! É simples, não?

O Cilan, notavelmente, fica irado com a situação e pede para ter um combate a sério com ela, contra as suas "belezas aladas", com o fim de lhe mostrar a imprevisibilidade de um combate. Infelizmente, o Cilan perde.

No início do episódio, vemos um "scan" ao Pokédex do Ash, algo que já não víamos há bastante tempo na série.

Neste episódio, o Cilan está vincadamente ele próprio, cheio de maneirismos, usando um vocabulário mais nobre ("rudeza")e, claro, com uma interpretação de Pedro Manana excepcional (como o "NUNCA!").

A Skyla é interpretada pela Isabel Nunes, que teve bons momentos, e o seu avô, que também aparece, pelo Rodrigo Santos.

A nível de guião, houve uma parte em que se disse "têm de dominar o Relâmpago" em referência ao Raio-Trovão do Stunfisk do Cilan, o que poderá ser erro.

No fim do episódio, o Ash fala com a Skyla e desafia-a também ele para uma batalha, que será consumada no episódio seguinte.

Neste episódio, a estratégia do Ash para ganhar é muito simples: "coragem e atitude"!

A apresentação da Skyla é muito interessante, talvez a melhor em Unova até agora.

Quanto à estratégia de combate, foi curioso ver o Água Armilar a ser usado como defesa contra ataques eléctricos, e foi engraçado ver que a Skyla o aprendeu ao ver os vídeos do avô, num PC muitíssimo bem desenhado, com pastas e tudo mais.

No fim do combate, a Tranquill do Ash evolui, tendo sido esse o factor surpresa (apesar de ser o mesmo do último combate de ginásio), e a Skyla mostra-se entusiasmada com o combate, tendo "aprendido a sua missão"! Tudo isto ao som da instrumental da abertura.

Depois, o Ash decide ir à Cidade de Icirrus para ganhar o seu próximo crachá.

Destaco ainda a animação dos combates de ar, muito apelativa, tanto num episódio como no outro.

Até à próxima!

quinta-feira, 10 de Outubro de 2013

Destinos Rivais: Cedric Juniper, o Krokorok de Óculos de Sol e uns Bouffalant baralhados!

Boa noite!

No episódio de segunda apareceu o pai da Professora Juniper, o Professor Cedric Juniper, dobrado pelo Mário Santos. O episódio em si é muito curioso, há muitos detalhes interessantes. Começamos pela imagem muito peculiar do Ash e do Pikachu MORTOS, algo que é raríssimo ver no Pokémon (e que muita gente pensava que ia ser cortado na versão americana), e acabamos com a Iris e o Axew mumificados. E não acaba aqui. O Cedric Juniper conseguiu ser muito engraçado, principalmente com o seu defeito de não acabar as frases de uma vez, mas também pelo seu espírito de explorador todo.

Algo que se destacou também foi a leitura do Pokédex do Sigilyph. Geralmente, quando alguém pega no Pokédex, o Pokémon a sério mantém-se estático, o que faz sentido a nível de uma série animada. No entanto, por vezes há momentos estranhos. E neste episódio isso aconteceu. O Sigilyph estava a investir contra o Ash e os outros... E de repente pára por uns segundos para permitir a um garoto com boné uma leitura no Pokédex? Não digo que o devessem evitar, porque é engraçado, mas podiam ter sido mais "discretos".

No fim do episódio, após os aventureiros terem uma descolagem "à Team Rocket", temos um pequeno flashback dos vários Pokémon que o Ash, a Iris e o Cilan já encontraram em Unova, o que foi algo inesperadamente apelativo. Quanto à dobragem, esteve tudo bem, e gostei muito da voz e da interpretação do Mário Santos a fazer de Cedric.

Depois, mesmo no fim do episódio, aparece um Krokorok de óculos de sol e... Saltamos para o episódio seguinte!

O Krokorok que estreou como Sandile logo no início de Unova reapareceu, após já ter encontrado o Ash noutras ocasiões! Aparentemente tem como objectivo derrotar o Pikachu do fedelho.
Vemos de imediato uma recordação de várias cenas em que o Krokorok os está a seguir, e isto torna-se muito interessante na medida em que vemos o Krokorok adaptado a cenas que já vimos antes.
O episódio baseia-se num conjunto de catraios que usam os Pokémon dos pais, e há um que se gosta de armar em brutamontes e dar ordens aos outros dois. A nível de vozes, Joana Carvalho interpreta o miúdo principal, o de óculos, Mário Santos faz de rufia e o Ivo Romeu Bastos faz a voz do outro miúdo... Menos numa cena, em que é Edgard Fernandes a dar-lhe voz.
O miúdo principal encontra o Pikachu do Ash e fica a pensar que é a forma pré-evolutiva do Zekrom! Mas o outro, com ar de rico, diz que é um Pikachu, que ele os reconhece pois já esteve na Cidade de Saffron. Duas coisas que eu gostei de ouvir.
Gostei também de ouvir a expressão "treinadores de bancada", e achei o combate meio atarantado dos garotos engraçado.
No fim, o Rufia vai para dar um soco ao miúdo principal, mas o Ash agarra o punho dele e não o permite. Foi bom ver o Ash a ser justiceiro, e também ver o bullying abordado no Pokémon. Quem diria?
E ainda temos a captura do Krokorok, uma adição enriquecedora ao já grande leque de Pokémon do treinador da Aldeia Paleta.
Relativamente à dobragem, esteve tudo bem, dentro das personagens do dia gostei muito da Joana Carvalho, mas, tal como eu já disse antes, houve uma cena confusa. Quando o miúdo rico faz referência ao Tipo-Terra do Krokorok, não foi a voz normal dele, Ivo Romeu Bastos, que ouvimos. Foi, sim, a de Edgard Fernandes. Porque terá tal coisa acontecido? A minha teoria é que tenha havido algum erro no qual só tenham reparado mais tarde, e então fizeram uma nova gravação da fala. Mas porque não chamar o dobrador original da personagem? Mal se repara, é certo, mas continua a existir.


Já hoje tivemos um título com uma aliteração, "Baralhando os Bouffalant!", podendo nós presenciar um episódio genial. Ver as personagens do Pokémon com uma peruca de um cabelo encaracolado muito farfalhudo? Quem iria pensar nisso? Muito bom!
Foi isso que tivemos. Começámos logo com a Joy e o seu Audino a aparecerem do nada e a surpreenderem com o seu estilo inovador. Gostei do comentário sobre se aquilo será um "penteado popular por estes lados ou um manifesto pessoal". Depois tivemos várias cenas em que o Axew é muito adorável, como quando tenta não fazer barulho para não acordar os perigosos Bouffalant. Achei graça quando os heróis puseram as perucas, e ri-me quando o Cilan olha ao espelho.
Algo de que eu também gostei no episódio foi ver os três inicias de Unova em destaque. Também foi um episódio giro, e a dobragem estava boa.

Amanhã julgo que chegamos a Mistralton! Até breve!